....

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Impossível de tocar


É como plastificar a estrada
E nunca ter ao lado um tecto
Impossível de ser
É como sair das margens da estrada incompleta
De estrada...
Onde não é possível entrar
E outra alma arrecadar

É como ser insensível
Ao perfume do asfalto dessa estrada
E chorar a vida
Num canto escondida

É suportar uma imagem
De estrada corrida
Desconhecer sua meta
Impossível de chegar
Impossível de tocar

Manuela Fonseca

3 comentários:

Rosa Maria Anselmo disse...

Olá Nelita
Não há impossiveis.... tudo se toca... basta amar e ter a dávida do perdão!
jinhos
Rosamaria

Nilson Barcelli disse...

Será que a Rosa acha, por exemplo, que pode tocar o Céu...? eheheheh...
Eu também acho que há coisas impossíveis de tocar (para além das intangíveis...), mas toquei no teu poema (não basta ler) e achei-o muito bom.
Beijinhos.

Vera disse...

Nada é impossível, mas há de facto impossíveis. Parece uma contradição maluca, mas de facto é mesmo assim...

Beijo