....

domingo, 7 de outubro de 2007

Branca lágrima de paz!


Branca era a lágrima
Branca e prisioneira
Ao canto do olhar
Bailando a dança da tristeza
No salão verde da desilusão

Branca e impaciente
Esperava o breve pestanejar
Para deslizar em rosto tenso
E salgar a boca seca de memórias

Tão branca que era a lágrima
Tão diferente das demais
Que pecam em transparência

Branca lágrima de paz!

Manuela Fonseca

7 comentários:

Maria disse...

Branca era a lágraima....
(salgada, seria, também)

Muito bonito
Abraço

Vera disse...

Branca era a lágrima que mergulhou na face de quem sofre e luta pela paz!

Beijo grande

impulsos disse...

Branca lágrima
Que desce pela face
Na esperança
De se afogar
Na paz...

Beijinho Nélinha!

Paulo Afonso disse...

Uma lágrima de feliidade!
Beijo

São disse...

Viva!
Agora já chego cá, felizmente!
Escuta: para entrares nos meus espaços, leres e deixares comentários deverás clicar nos endereços, porque este blog funciona só como entrada...por enquanto, pelo menos.
Aqui te deixo um poemeto dos meus, em jeito de retibuição de boa noite:

Somos guerreiros
Vindos de outras eras
Mas nem por dentro
De todos os tempos
Vencemos as nossas guerras.
("Em Ouro Cru")

Gostei da Lágrima...

"Bejinhos"

Nilson Barcelli disse...

Benditas lágrimas que de paz a boca te salga.
Belo poema, como os demais.
Beijinhos.

Sailing disse...

Nela

Indiquei este teu poema intitulado Branca lágrima de paz, para o " PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS 'IN BLOG' 2007", idealizado por ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA. Para conheceres as regras vai ate ao meu blog e carrega no item respectivo.

Bjs