....

segunda-feira, 25 de junho de 2007

NÃO!


Não te rias!
Não faças do teu sorriso
A dor contorcida do meu rosto

Não me aches no vazio
Das tuas noites
Com nomes estranhos
Desconhecidos
Colados ao meu ouvido

Não me conheças sozinha
Nas multidões
Gritando pedaços
De um gesto dissipado

Não chores por mim
Quando eu não estiver
No seio do teu Tempo…

Não me digas nada!

O silêncio é belo
E ultrapassa-me na voz trémula
De um minuto fugaz.
Não te despeças de mim
Quando a Saudade já não estiver

Não!
Não me abraces!

Manuela Fonseca

1 comentário:

Maria de Lurdes disse...

Uma despedida!
As despedidas são sempre muito difíceis, sobretudo quando se trata de alguem que amamos muito!
Adorei amiga,
Beijinhos
Lurdes