....

domingo, 5 de agosto de 2007

Souad - Queimada Viva


"A nossa narradora já é uma mulher de meia-idade quando escreve o livro e foram precisos anos para ter direito a um pouco de felicidade. Vive incógnita e com outro nome, sempre com medo que algum membro da família venha cobrar a dívida que ficou por saldar. Ficaram também as inúmeras cicatrizes físicas e psicológicas, impossíveis de sarar."

Um livro que li em dois dias, que me tirou quatro noites de sono e que continua bem presente na minha memória. Eu diria, para sempre! A história verídica de uma jovem, que viveu todos os pesadelos que possamos imaginar, que sofreu no corpo e na alma o que não podemos saber! Apenas chorar com ela, sentir com ela e louvar a sua coragem e capacidade de sofrimento.

Manuela Fonseca

1 comentário:

Maria de Lurdes disse...

Olá amiga Manuela,
é de facto um livro arrepiante!
Não se compreende como estas coisas ainda podem acontecer!
É de facto uma leitura obrigatória, pois é o que acontece ainda hoje em dia, e neste caso, na Cisjordânia,quando se vive o amor antes do casamento!
Este livro é para mim um grande acto de coragem, e um apelo ao silêncio!
Um beijinho
Lurdes