....

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Esboço de Alzheimer




As palavras entraram
Esquecidas e apertadas
Pela porta dos fundos

Pendurada a memória
Em ausente suporte emocional
Ali ficaram pousadas no nada

Confusas
Soltas
Mal titubeadas



Manuela Fonseca

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Nunca imaginaria um poema a propósito do alzheimer...
Mas tu fizeste e muito bom.
Gostei imenso, o poema ficou excelente.
Beijos, querida amiga.

Poeta Marcos Fernandes disse...

Esplêndido poema! Adorei as tuas características! Estou te seguindo a partir de agora, e aproveito o encejo para convidar-lhe a viajar comigo no meu blog... aguardo sua estimada visita! Um grande abraço!