....

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Aquele vestido verde


Aquele vestido verde
Suave ao toque do veludo
Deslizou no seu corpo
Em soluços confidentes

Rosto branco
Isento de cor malte
Caem sorrisos apressados
Que se desmancham em brilhos…

O andar provoca
O homem que o inventou
Quando o amor era presente

O olhar volta-se
Indolentemente
Desejando a paz doente…

Manuela Fonseca

5 comentários:

Vera disse...

Bom ler-te Manuela. Gostei desse vestido verde, mas prefiro que te vistas de alegria e amor!

Beijinhos

Fernando Reis Costa disse...

Olá prezada Manuela:
Era tempo de voltar à sua "casinha" virtual, bem acolhedora, para lhe deixar um grande abraço e a felicitar pelo agradável conteúdo com que nos brinda.
Voltarei em breve.
Entretanto, da cidade do Mondego, vai o meu fraterno abraço, reiterando o pedido de desculpa pelo lapso no envio do áudio (rsrs).
Feliz fim de semana!
Fernando

O Sibarita disse...

Oi dona moça Manuela! kkk

Verde é esperança, né não fia? Então o seu poema ta porreta, valha-me Deus!

Orbigado por ter iso no Sibarita, volte sempre...

bjs
O Sibarita

Deusa Odoyá disse...

oi minha estimada amiga Manuela.
O verde significa as esperanças em nossas vidas.
Parabéns pelo blog e por seu texto.
Beijos e fique na paz.
Regina Coeli.

Te aguardo no meu cantinho.

ROSA E OLIVIER disse...

"intima semente baila em meu reino
ao sabor de tuas doçuras..."

...e era o rapaz...da camisola verde...da camisola verde...!?...

sonhos
a nossa vida
manuela florida...e besos besos mas besos...