....

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O amor traiu-me!


O amor andava nas esquinas
Silencioso
A enganar-me o coração
Espreitava-te ao virar da curva
De cada vez que o olhar o abafava

Caminhava no meu vagar
Sem me deixar a descoberta do conforto
Ao ver-te
Como o sentimento forte de ter chegado a casa

O amor traiu-me
Num dia de Inverno
Aquele dia em que dividimos as nossas fontes
E eu caí dentro da tua alma
Sem saber que te amava…

Zanguei-me com esta paixão
Empurrei o cupido culpado
E continuo a sentir-me traída
Por mim própria
Pelos sentimentos
Pelos olhares
Pelos abraços
E pelo beijo que sempre tarda
E nunca chegará.

Manuela Fonseca

2 comentários:

Luís Coelho disse...

Mas foi tudo por uma boa causa...

Marta Vasil disse...

Imprevisibilidades do amor, querida Manuela.

E como o outro beijo tarda, deixo-te aqui um de grande admiração.